segunda-feira, 25 de julho de 2011

HOMOSSEXUAIS E IGREJA, UMA GUERRA SEM VENCEDORES.


Tenho visto e ouvido muita discussão nos últimos dias acerca das causas homossexuais, homofobia, briga religiosa e toda uma gama de “perrengues”. Já escrevi antes sobre o assunto, mas gostaria de novamente trazer uma reflexão. Não pretendo dar uma última palavra sobre o assunto, até porque entendo que esse tema ainda vai gerar muita discussão e que, infelizmente está longe do fim. Almejo ter uma palavra pastoral sobre o tema.
Fico observando um cenário estranho onde vejo homossexuais sendo agredidos, espancados, mortos porque tem escolhas diferentes dos heterossexuais. ISSO É DEPLORÁVEL! Também vejo religiosos e fiéis dos mais diversos credos sendo ridicularizados e tidos por criminosos por entenderem de acordo com seus livros de fé, que o homossexualismo é uma prática desagradável a divindade que cultuam. ISSO É IGUALMENTE DEPLORÁVEL!
Particularmente percebo alguns erros de todos os lados. Gostaria então de esboçar meus pensamentos e trazer a reflexão. Antes quero repetir algo que já disse antes: é bem natural que meu posicionamento seja, nalgum momento, carregado de um ‘preconceito’ próprio da visão bíblica e cristã - não há crime nisso, e tenho o direito de pensar assim, segundo a Constituição desse País”. Por um convívio no meio cristão protestante, é bem normal que as observações quanto aos religiosos sejam mais especificamente sobre esse meio. Mas vamos aos pontos:

1. ERRO DOS RELIGIOSOS – Infelizmente nesse meio há muita homofobia. Geralmente essa postura não é vista nas pregações que dizem que Deus ama o pecador, mas odeia o pecado (isso dá outro artigo). Podemos perceber uma postura preconceituosa quando os religiosos se omitem de ter relacionamentos de respeito com pessoas que tem opção sexual contrária a sua ou quando nos templos religiosos, homossexuais não são recebidos com o mesmo afeto e carinho que outras pessoas consideradas mais “dignas” o são.
A religião erra quando se omite em lutar para que homossexuais sejam respeitados em suas escolhas. Digo que esse erro é muito maior por parte do protestantismo histórico. Em suas bases esse ramo do cristianismo tem um humanismo que prega o respeito individual. É bem presente a déia de que posso discordar plenamente do seu querer, mas devo lutar pela sua liberdade de escolha. Isso sem permitir que me torne um defensor da prática homossexual. Posso exemplificar isso de forma bem clara assim: Sou cristão protestante, entendo que o cristianismo apresenta o plano de vida para humanidade de acordo com a vontade de Deus. Discordo dos ensinamentos mulçumanos, mas jamais quererei ver um mulçumano sendo humilhado, espancado ou morto em meu país em função da sua escolha religiosa. É simples, posso considerar tal fé um erro na visão acerca da divindade, mas devo respeitar a escolha alheia.
Lutar pelo direito de respeito ao homossexual não significa APOIAR O HOMOSSEXUALISMO, mas demonstra que entendo biblicamente que qualquer pessoa nesse país deve ter o direito de pensar diferente de mim, de agir de forma oposta a minha e de ser respeitada em suas escolhas, por mais que elas sejam contrárias a fé que tenho.
Quando eu digo que entendo que dois homens que viveram juntos durante 30 anos e construíram um patrimônio tem direito a serem herdeiros naturais um do outro, não estou apoiando sua postura sexual, mas estou reconhecendo que há um vínculo inegável entre eles. E posso tranquilamente dizer isso, e continuar afirmando que segundo a Bíblia que é o livro Sagrado do cristianismo, entendo que o homossexualismo é uma prática oposta a natureza de Deus e aos propósitos do Criador para a humanidade – ISSO NÃO ME TORNA HOMOFÓBICO.
Há uma postura meio estranha quando os religiosos toleram pessoas mentirosas, invejosas, desonestas, adúlteras, sem, contudo, combater pecados que diante de Deus, são tão nocivos e condenáveis à vida espiritual quanto o homossexualismo, o homicídio e quaisquer outras práticas pecaminosas.
Pressuponho igreja como comunidade acolhedora e terapêutica que traz para si pessoas de todos os tipos; não apóia seus erros – combate-os; não concorda com suas mazelas, ao contrário, tenta sará-las.
2. ERRO DOS HOMOSSEXUAIS (das lutas de causa em geral) – Tenho dedicado mais tempo nos últimos dias para assistir televisão. Percebo a cada dia um apelo muito maior às lutas homossexuais. Já deixei claro que com algumas delas concordo, com outras não - ISSO ME TORNA HOMOFÓBICO? NÃO! - Discordo sim, do direito de adoção por parte de casais homossexuais, entendo que o modelo bíblico de família é heterossexual. E não sou anti-gay por isso. Apenas penso diferente! Acredito que esse é o modo correto de pensar. Quero ter o direito de discordância respeitado.
As lutas de causa em geral confundem discordância ideológica com preconceito. Não acho que homossexuais não sejam capazes de serem pais ou mães carinhosos, cuidadosos e zelosos (isso seria um vil preconceito), mas entendo biblicamente que o padrão é outro (isso é princípio de fé). E deve ser respeitado.
Não adianta pregar igualdade quando eu suprimo direitos de uns em favor dos outros. Simplesmente não dar pra querer ingerir sobre princípios, padrões religiosos, crenças... Não dar pra eu querer taxar com alcunhas pejorativas alguém que em seus conceitos de fé, discorda de minhas escolhas sexuais.
As “campanhas” vistas na TV não promovem a paz e o respeito, tentam fazer com que as pessoas tenham como normal aquilo que seu principio de fé rejeita e é um erro tremendo querer regular a crença do individuo com base nos meus objetivos, por mais nobres que eles sejam para mim. O principio básico a ser obedecido não é mudar o conceito alheio, mas conscientizar as pessoas de que apesar do lastro ideológico oposto é preciso respeitar as escolhas e principalmente os indivíduos.
É também preciso parar de uma postura vil de vitimização. Explico. Quando alguém vai para a TV ou em um teatro cria um personagem estereotipado – ou não – de um religioso, fazendo disso um motivo de riso, ninguém trata do assunto como preconceito, mas no momento atual, fazer isso com um homossexual é HOMOFOBIA!
Fazer manifestações em frente a templos religiosos em horários de reuniões, cultos, missas, além de ser crime é tão nojento quanto agredir pessoas por sua cor, origem étnica, sexo ou opção sexual. Queimar Bíblias porque pastores e padres pregam contra o homossexualismo é tão idiotizado e desrespeitoso quanto queimar o Alcorão por ser um livro mulçumano.
3. ERRO DOS PARLAMENTARES - Esses erram quando abandonam a Constituição do país que define claramente os direitos fundamentais do individuo. São incapazes de legislar de forma clara e definir com justiça, o que é homofobia e o que é liberdade de expressão. Pessoalmente entendo que homofobia é qualquer postura que promova a violência física, moral, psicológica ou emocional contra o individuo por causa de sua opção sexual.
Dizer que segundo meu preceito de fé, entendo que o homossexualismo é pecado contra Deus e que, os que praticam estão sujeitos ao inferno, NÃO É HOMOFOBIA! O nome disso é liberdade de expressão. Do mesmo modo, discordar publicamente de posturas de igrejas não é crime – é também liberdade de expressão. Nos dois casos basta haver RESPEITO!
Vocês são os responsáveis pela justiça nesse país. Se criarem leis justas as coisas andarão bem, se continuarem travados nas buscas pelos interesses pessoais ou de “currais” eleitorais, nosso país continuará nesse lamaçal desgraçado.
Segregar, desrespeitar, agredir ou incentivar a agressão é homofobia. Mas se negar a realizar um casamento religioso entre homossexuais e discordar da prática por causa dos meus princípios não o é crime. Deixar de contratar um individuo por sua opção sexual é crime, mas não contratá-los por não se encaixar no perfil técnico da empresa não é.
Respeitar é fundamental. Nunca concordaremos cabalmente em tudo. Mas se em todos os momentos mantivermos a postura de respeito, aprenderemos a conviver harmonicamente apesar das diferenças. Isso é possível sim, sem que precisemos abrir mão dos princípios.

Um abraço,


Pr. Caco Pereira

29 comentários:

Milena disse...

Concordo com sua posição Ricardo, é a minha também. Qualquer tipo de violência verbal ou física é inaceitável. Mas também afirmar que qualquer segmento está acima de críticas (como querem os homossexuais) fere nossa liberdade individual e constitucional. A palavra chave neste embate é RESPEITO. Respeito os homossexuais e suas escolhas. Assim como gostaria de ser respeitada em minha crença de que estas práticas são desobediência explícita a Deus e Sua Palavra, naquilo que Deus desde o princípio ordenou aos seres humanos, como homem e mulher, núcleo da família. Por isso deixo aqui minha opinião como livre que sou, num país livre em que vivo.Milena Rouse

Isaac Marinho disse...

Texto interessante!

Dos dois lados há erros (exageros, preconceitos etc) e é isso que mantém a guerra. Nenhum dos lados reconhece seus erros...

Os direitos de uns não podem tolher os direitos dos outros.

Os evangélicos, pelo menos os que eu conheço e com os quais convivo, não pregam ódio contra os homossexuais. Mas há muitos deles que não praticam o amor ao próximo quando o próximo é homossexual. Isso é pecado.

Geralmente pecamos pela acepção de pessoas, e consequente omissão, no trato individual; e quase nunca pela promoção do ódio no trato coletivo. É o que eu tenho visto.

Que Deus tenha misericórdia de nós!

Félix Maranganha disse...

Bom, discordo no caso das adoções, creio serem importantes, pois o modelo constitucional não deve ser o bíblico, mas o civil. E o direito civil tende a seguir a doutrina utilitarista de Stuart Mill, para o qual a liberdade deve ser completa, excetuando-se quando incorrer em prejuízo a terceiros. Assim, o direito de adoção não interfere sobre terceiros (há filhos de casais homossexuais que são perfeitamente heterossexuais, sem neuras, conheço dois, inclusive).

Outra questão é que o homossexualismo é uma orientação (genética, e não como doença), não uma escolha. Ninguém escolhe ser ambidestro, destro ou canhoto, assim como ninguém escolhe ser hetero, homo, bi, pan, tecno... No caso da pedofilia, que também é uma orientação, há meios de se evitar o prejuizo sobre terceiros (como bonecos infláveis realistas).

Portanto, por ser consequencialista e utilitarista, é assim que penso.

Naiaraa :) disse...

Minha opinião não é muito distante...
Nesses últimos dias venho vivendo dilemas, pois na minha formação enquanto assistente social sei que devo defender intransigentemente os direitos humanos e a pluralidade. Sempre tratei (e tratarei) com respeito meus amigos e pessoas adeptas a praticas homossexuais, e apesar de ''julgá-los'' errados, sei que Deus os ama igualmente a mim.
Abomino tanto os que criticam de modo desrespeitoso, depreciando aqueles a quem deveriam chamar de ''irmãos'', como também, os que me julgam homofóbica pelo meu posicionamento contrário.
Como foi bem dito, respeitar é diferente de aceitar, porém, consciente da condição principalmente de cristã, que nos ensina a amar nosso irmão, é preciso respeitar a ''liberdade de ser'' de cada um.

Sylmara Luz disse...

Achei o texto bastante necessário e tb corroboro com a maior parte do conteúdo; e, embora essa seja realmente uma questão extensa e complexa, quero afirmar ao Félix q ainda não há provas de q o homossexualismo, bi, pan, tecno, etc., seja uma expressão de uma disposição genética. E essa declaração sobre a pedofillia? Baseados na sua afirmação, poderemos pressupor q tb seja uma questão genética??... Considero esse pensamento extremamente perigoso, na medida em que leva a aceitar toda e qqr perversão sexual como natural, por ter um caráter genético...

Félix Maranganha disse...

Sylmara,

e há provas do contrário? Sugiro isso http://papodehomem.com.br/evolucao-homossexualidade/, isso http://scienceblogs.com.br/brontossauros/2008/11/bissexualismo-traz-vantagens-para-besouros.php

Sem falar de que, cientificamente, as sociedades sem nenhum comportamento sexual definido são bissexuais, o que nos leva a uma outra discussão: somos naturalmente uma espécie bissexual, e a heterossexualidade e homossexualidade seriam dois extremos. Somos seres sensuais ("O Macaco Nu", por Desmond Morris), o que torna o sexo mais uma forma de manutenção social que propriamente um meio de reprodução (e não é natural nem antinatural, é apenas peculiaridade humana).

Por isso, sugiro dar uma lida em http://ocalangoabstrato.blogspot.com/2011/07/homossexualismo-ou-homossexualidade.html, http://ocalangoabstrato.blogspot.com/2011/06/homofobia-pelos-e-mails.html e http://ocalangoabstrato.blogspot.com/2011/06/voce-e-preconceituoso-admita.html .

Félix Maranganha disse...

Sylmara,

e outro problema: a pedofilia é sim uma orientação biológica, assim como a esquizofrenia, a depressão e a psicopatia. Mas lembremos que, diferente das demais orientações sexuais e das demais constituições mentais, a psicopatia e a pedofilia incorrem em prejuízo para terceiros, o que requer tratamento social. Ou seja, não é um pensamento perigoso se você for dedutiva, e se tornará perigoso se você for indutiva.

Valéria Lopes disse...

De modo geral, parabéns pelo texto. Percebo, como o próprio autor assinalou logo no início do texto, uma tentativa de imparcialidade, não exatamente praticada ao longo dele, obviamente, uma vez que trata-se de um ponto de vista, de um posicionamento individual acerca de determinado assunto.
Discordo (em meu direito) de alguns pontos, como o da adoção e da instituição de um modelo bíblico para o casamento (aliás o próprio casamento, excetuando-se as questões históricas, sociais e econômicas de que resulta é um modelo bíblico), mas creio teríamos um mundo bem menos violento, intolerante e sangrento se ao menos a maioria das pessoas fossem capazes de semelhante posicionamento.

Um abraço!

Valéria Lopes

Alex Albuquerque disse...

A Igreja que se diz Evangélica necessita urgentemente da cosmovisão sociológica exalada por esse texto. Na verdade a religião figura-se como um terreno movediço, uma patologia que entorpece e seda os pensamentos das pessoas. Milhares de evangélicos vivem um cotidiano de contradições, professam Jesus Cristo, mas, não socializam as o conteúdo bíblico, Parabéns pelo texto! Um abraço do amigo fã Alex Albuquerque

Vitória Nunes disse...

É verdade, essa polêmica parece não ter fim! Os preconceitos e os vários tipos de violência envolvidos nesse problema parecem ser uma inflamação. O impasse entre as crenças e os ideais não deveriam ser problema, mas sim uma discussão saudável, onde cada ser opta pelo seu modo de pensar. Mas infelizmente não é o que aconteçe, o importante seria a discussão envolvida ao respeito. Infelizmente essa é nossa realidade. Méritos são dados ao texto em qualidade! Muito bom primo.

Lucius disse...

O texto é razoável, mas demosntra que você é preconceituoso e homofóbico, como toda corja.
ao menos consegue ser suave.

Leandro Rodrigues disse...

Interessante esta VISÃO Pastor, e concordo plenamente. Agora cabe a nós cristãos sermos o modelo de Cristo, que por sua vez não veio para julgar os pecadores por suas práticass 'João 3;17'(como muitos cristãos andam fazendo) e sim para traze-los ao arrependimento 'Mateus 9;12-13'. Que nossas vidas sejam exemplo de Cristo, e que não venhamos a julgar/condenar os homossexuais (visto que também não temos poder para condenar) e sim apontar o caminho a verdade e a vida...JESUS CRISTO o qual é poderoso para salvar.

Deus o abençoe

LEANDRO RODRIGUES
Diác. da IPB Flor de Maio/SP

Anônimo disse...

TEMA POLEMICO : IGREJA X HOMOSSEXUALISMO X SOCIEDADE.

VÍTIMAS DE UMA SOCIEDADE PRECONCEITUOSA E DE "MUITOS RELIGIOSOS".
IGREJA : COMPAIXÃO NÃO ESTÁ NA BIBLIA ?
AMOR AO PRÓXIMO TAMBÉM NÃO ?
DEUS NÃO NOS AMA INDEPENDENTE DE SUAS ESCOLHAS ?
DEUS NÃO NOS DEU A LIBERDADE DE ESCOLHERMOS ?
JÁ PERGUNTARAM PARA DEUS O QUE ELE ACHA DISTO ? TALVEZ ENCONTRE NA BIBLIA UMA FRASE ASSIM : NÃO JULGUE PARA NÃO SER JULGADO OU AME AO PROXIMO COMO A TI MESMO .
MAS QUANDO SE TRATA DE HOMOSSEXUALISMO OS RELIGIOSOS SE ESQUECEM DESTAS PALAVRAS !

Marcos Ramos disse...

Que o SENHOR queira que, o que resumidamente foi oferecido sirva para esclarecer que, diante da época da "revolução sexual" que desde a queda de Adão foi e é proclamada, a reforma da sexualidade verdadeira possa ser terminada unicamente graças à obra de Cristo. Diante desta revolução só existe uma coisa que possa dar jeito: O Evangelho. Pois de alguns homens e mulheres de carne e osso, ao que nada humano é estranho, se diz em um mundo descontrolado: Vocês são totalmente outra coisa! Por quê? Não a causa de uma moral descente ou ascética, mas por isto: - Porque conheceram a Cristo (leia-se Ef 4.17 e ss.). Diante de um mundo que se entrega a lascívia “para cometer com avidez todo tipo de impureza” (v. 19) temos “a verdade que está em Jesus” (v. 21), a qual também está no plano da sexualidade e o casamento tem poder contra os desejos enganosos, de forma que podemos seguir o conselho do apóstolo: “e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Ef 4.24).

Anônimo disse...

Rev.Caco, Sempre Posts polemicos para fazer as pessoas pensarem, continue assim com está missão de fazer a nossa mente mexer.
Rev.Ronaldo Cadena

Adrielle Vilela dos Santos disse...

Concordo... bem equilibrado...tem muuuuuuuitos erros de todas as partes!

IBA disse...

Não sei... Comentar o quê? A "guerra" é tão infinita que até nos comentários surgem os gladiadores e eu não quero me degladiar com ninguém. Até porque tenho uma filhinha em cassa me esperando.

Cada um de nós é fruto daquilo que cremos quer seja mesmo a "fé na vida, fé no homem, fé no que virá..." ou mesmo a aclamada falta de fé total.

O que me irrita não são os homossexuais, nem os evangélicos, sejam uns ou outros xiitas em seus pontos de vista ou apaziguadores da situação, mas a avassaladora campanha gerida (gerada) pela mídia desse país que despreocupadamente (será?) emplaca campanhas que mais promovem aquilo que combatem que outra coisa qualquer.

Tô cansado de (começar a) ouvir manchetes nos mais diversos tipos de mídias dizendo que um número XYZ de homossexuais foi morto, como se esse fato fosse o fato que merecesse destaque. Junto com esses inúmeros homossexuais que são mortos, morre-se também no país um sem número de heterossexuais, de pais, de mães, de negros, de brancos, pobres, de ricos. Cada um por motivos os mais diversos. Fala-se da morte e dos ataques violentos contra os homossexuais hoje em dia não para mostrar uma realidade que não se mostrava antes ou para esboçar solidariedade. Isto é feito por essa mídia descomprometida e descompromissada para atingir interesses escusos que só a eles dizem respeito.

Nós, população em geral, quer evangélicos, católicos ou outros credos que se manifestem contra o homossexualismo, quer homossexuais e todos os afins somes apenas massa de manobra na mão desses que se travestem de defensores do direito e da legalidade.

O Brasil está se transformando em um país perigoso. Eu disse perigoso, não violento. A violência que campeia é justamente reflexo desse país perigoso que se avoluma. O perigo está na falta de critérios, no clientelismo que está presente em todas as esferas da sociedade. As leis que se apresentam como soluções de problemas reais, sociais, existências não visam de fato solucionar os problemas que se apresentam, mas tão somente atender a interesses escusos.

Não pensem que ganham os homossexuais se virem aprovadas leis que os favoreçam (nos moldes em que aí está), nem pensem os evangélicos que ganham se o contrário se der. Estamos perdendo todos, pois o país não acerta seu rumo. Já de muito, tudo que se faz aqui visa apenas os interesses de alguns e esses alguns estão só deixando estar para ver como é que fica ("laissez faire, laissez passer...").

Fernando disse...

Olá.
Gostei da posição que enta equilibrar as outras independente do ponto de vista. Respondendo a um dos comentários, quanto à questão homossexual como doença, é sim, e não há nenhum estudo que comprove ser genético. Até mesmo os grandes cientistas homossexuais concordam que não foi encontrado nenhum gene homossexual. Há um tempo atrás, duas grandes organizações dos EUA lutaram e tiraram o homossexualismo da lista de doenças psíquicas devido à pressão, não por provas contrárias. Espero que essas informações ajudem.
Fernando

Suênia Medeiros disse...

Texto interessante, e bem realista. Concordo com essa visão, sem tirar nem pôr.
Não 'passa a mão na cabeça' nem de um lado nem de outro. É necesssário amar o pecador, como Jesus amou. É necessário abominar o pecado, como Jesus abominou. E sem fazer acepção de pessoas.
Homossexualismo é pecado tanto quanto a mentira, a fofoca, a falsidade, a inveja, A HIPOCRIZIA!
E o segundo maior mandamento, é amar ao próximo, como a si mesmo. Independente de quem seja o próximo.
Revejamos nossos conceitos.
A paz!

Julyanne Rezende disse...

Aê Caco mais um texto show de bola!
Um assunto que ta mexendo com a cabeça da galera uahuahuahuaha ...
A igreja pelo tempo que existe ja poderia ter maturidade suficiente para reagir de uma forma diferente ...
No lugar de julgar e criticar, fazer o que a ela tem que fazer, acolher e não apontar o dedo na cara da pessoa dizendo coisas ofensivas, no lugar de ajudar só atrapalha!
Vamos ser Sal e Luz né ?
Enfim ...esse assunto ainda vai dar muito muído (se é que me entende ).
O que nos resta a fazer é orar e orar e orar sem cessar!
Beijo Caco!

André Gustavo disse...

Meus comentários poderiam formar outra crônica, mas exteriorizo a concordância com suas palavras. No entanto trago a minha indignação com a sociedade manipulável a qual vivemos, considerando que todas as mídias (principalmente a televisiva) estão trazendo o homossexualismo como normal e as cenas com beijos, afagos e formação de "família" são constantes. O pior que já existem mídias mostrando que o vilão é a igreja evangélica, os pastores. Sendo assim a nossa sociedade discerne com o discernimento das cabeças das mídias. Por fim, as opiniões são as mais variadas quanto o homossexualismo em sua origem, mas o meu entendimento é algo psicológico contido na definição do complexo de Édipo e Electra, isso não quer dizer que é uma doença e muito menos problema genético como muitos acreditam. Termino deixando as minhas considerações pela sua verdade as quais buscam sempre o parâmetro bíblico como norma de fé e prática. Deus abençoe
André Gustavo

Thézinha disse...

Um texto bem inteligente, tomado de parcialidade, mas com bastante respeito. Você sabe ser educado quanto quer, assim como sabe se rude e implacável. Discordo em algumas coisas, mas rendo-me ao seu porder de argumentação.
Sou sua fã! Escreve muito bem. Leio muito seus textos.
Parabéns.

Ramon disse...

Cara você é muito preconceituoso. Não tem medo de ser processado? Tenho certeza que tu gosta da fruta. rsrsrsrrs

lela disse...

Bom, concordo não plenamente com tudo, mais acredito que os cristão precisam se preparar mais em relação a isso,são inumeras as chances que muitos pastores tiveram de defender o homossexualimo na televisão, e não vi muito reusltado, por que queriam ganhar a luto com os gritos,ou sinplismente eram atropelados em suas explicações, não basta querer falar do homossexualismo, tem que ter seu posionamento bem firmado.Outro dia estava conversando com meus irmãos,e eles são taxativos quanto a questão de se voce for evangelizar algum homossexual deve chama-lo de ele, pra que voce deixe bem claro sua posição, que vc não aceita, mais acho que se voce quer ganhar algum homossexual voce precise chamar de ela no inicio, não sei se vejo muito problema nisso,a igreja estar muito mais preoculpada com mostrar sua posição do que cuidar deles e até mesmo mostrar de uma forma mais agradavel a verdade bíblica, ate por que defendemos a palavra e não a consultamos quando um homossexual se converte, a tendencia é existir o preconceito dentro da igreja quanto a integração dessas pessoas em nosso meio.

Carlos Puck disse...

Infelizmente abriu-se a caixa de pandora. Um lado contra o outro e nenhum querendo abrir mão. Opa! Abrir mão é concordar? Claro que não... é dizer que posso falar o que penso sem ofender o outro lado, já que no fundo, todos carecem da glória de Deus... todos pecaram... a ira de Deus se manifesta contra o pecado... então não precisamos nos digladiar... apenas pregar, em tempo e fora dele... a fim de vermos o Senhor operando... Noé pregaria, entraria na arca e pronto... a água inundaria... então... devemos pregar, anunciar e não perder tempo... se Deus tem sua Graça irresistível, não sou eu quem faço, mas ele faz... não sou pelo homossexualismo e creio que isto seja abominação, tanto quanto a politicagem eminente em nosso meio, tanto quanto a mentira, tanto quanto... mas a Graça nos salva... e nos livra da ira vindoura... Deus tenha misericórdia de todos nós... mesmo.

Thaise disse...

Amei o texto Ricardo!!! Muito bem colocado e preciso! Ja falastes antes sobre o assunto,hoje porem mais minuncioso! Eu quero ter o direito de seguir minha fé! Quero respeito por isso,tanto quanto qualquer homosexual quer por sua opção! Discordo com a brutalidade,que muitas vezes os atingem,como vc diz É DEPLORAVEL! Porem,tanto quanto um paralementar dizer que somos PROIBIDOS de falar sobre o assunto a luz da Biblia em Publico! Um assunto amplo...Mas Parabéns um perfeita colocação!

Alyson Vilela disse...

Concordo com quase tudo o que você disse. Não se arranca pensamento de ninguém a fórceps. É direito de todos achar que uma coisa ou outra é pecado e ponto final!

Por outro lado, os cristãos (não todos) têm travado uma luta exagerada e manipulada ao extremo contra homossexuais. O Silas Malafaia apregoa descaradamente liberdades que ele diz que serão roubadas com essa lei, sendo que nada disso é verdade. E o próprio projeto de lei deixa isso claro.

Acredito muito que se Deus existisse, estaria se preocupando com coisas muito mais importantes, como gente matando gente (em nome dele inclusive) ou queimando nas fogueiras ideológicas (Silas queimando os gays, por exemplo).

Só não achei legal quando você colocou na mesma lista homossexualismo e homicídio. Acho desproporcional.

Ana Lívia disse...

Bravo, Pastor!Bravo!!! Mais um texto brilhante! Não vai por um fim na discursão, mas servirá para esclarecer muitas mentes. Na verdade, a linha tênue que deve impor limites aos nossos debates com os homosexuais é sem dúvida o respeito.

Tereza Cantalice disse...

Fazer-se respeitado, tornar-se digno de respeito, ou seja, o Respeito é a principal bandeira de luta dos movimentos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Travestis (Lgbt's). Se não houvesse a falta desse tal Respeito em nossa sociedade, machista, patriarcal e conservadora, talvez, não existissem as inúmeras segregações de ativistas lutando contra a homofobia.
A discriminação é tão presente em nosso dia a dia, que às vezes, passa despercebida. Talvez, seja porque eu ou você que ta lendo este comentário ou texto do blogger, não sejamos homossexuais, mas quem vive na pele a árdua rejeição da mãe, do pai, da professora na escola, do amiguinho que pratica Bulling, da falta de emprego por ser “diferente”...é difícil passar por determinadas situações.
A rejeição, o desprezo, o abandono, o “chingamento”, a piadinha de mau gosto, a agressão e até a morte. Isso sim, é que devem nos preocupar enquanto cidadãs ou cidadãos que somos. O respeito é a dignidade humana e o desrespeito é a intolerância dos ignorantes! Todos os dias têm homossexuais passando por algum tipo de constrangimento, agressão ou morte no Brasil. Até quando vamos tratar indiferente @s negr@s, homossexuais e as mulheres do nosso país?