segunda-feira, 28 de março de 2011

AVE MARIA!!

Outro dia na mesa de um restaurante ouvi a seguinte pergunta: Ricardo (na verdade fui chamado por um apelido carinhoso. Apelido esse que somente essa tia e sua filha podem usar. rsrsrs – censurado) o que vocês (protestantes) pensam sobre Maria?
Sabe quando alguém faz uma pergunta e você agradece a Deus pelo privilégio de poder respondê-la? Então, foi assim que me senti naquele momento. Alguns dias antes eu havia comentado com Drika que escreveria sobre esse assunto. Tinha agora a oportunidade de “testar” meu texto e isso enquanto degustava um bom churrasco em companhia de pessoas que amo.
Disse exatamente o que penso. Nada mais do que a Bíblia diz sobre essa serva abençoada do Senhor. Maria foi sem dúvida alguma uma jovem (adolescente) muito dependente do Deus de sua vida. Demonstrou confiança, humildade, mansidão e submissão. Por tudo isso, é sim um dos maiores ícones da fé cristã.  
O anjo vai ao seu encontro e em uma frase que já diz muito, mas muito mesmo sobre quem é essa moça: Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lucas 1.28). Nossa que afirmação magnífica! Imagine-se no lugar dessa garota de aproximadamente 16 a 20 anos. Ela acabara de ouvir que deveria alegrar-se, pois era cheia do favor não merecido de Deus e que Ele mesmo era com ela. A menina judia mal sabia que a graça do Senhor sobre sua vida a faria meio pelo qual o Salvador, o Rei dos reis tornar-se-ia homem (Lucas 1.30).
A menina teve medo, mas logo recebeu do anjo palavras que certamente começaram a encher seu coração de paz.  Ela seria instrumento pelo qual o Filho do Altíssimo, o herdeiro do trono de Davi tomaria forma humana (Lucas 1.31,32). Mas o que é fantástico ao ler sobre o encontro do anjo com Maria é o relato de sua resposta: “Eis aqui a escrava do Senhor. Aconteça comigo segundo tua palavra”. (Lucas 1.38). Que dependência, disponibilidade! A jovem estava colocando em risco todos os seus sonhos ao lado de José – afinal de contas como explicar a gravidez quando ainda não “conhecia” homem algum? Como dizer para seu futuro marido, que não o traiu, mas que carregava no ventre uma criança? - O QUE VOCÊ FARIA NO LUGAR DELA?
Pois bem, penso de Maria exatamente o que Bíblia me diz sobre ela.  E sinceramente, vejo duas “marias” sendo propagadas por aí e ambas não refletem a humilde serva do Senhor. A primeira é vista, aclamada e venerada como co-Redentora, uma espécie de quarta pessoa da divindade. Tem poderes de intercessora, pode fazer milagres, é tão ou em alguns momentos, mais importante que o próprio Filho. Essa Maria em nada se compara a jovem humilde, escrava, dependente da graça. Ela é sofisticada, pomposa, tem vários dias de comemoração especial. É adorada (venerada como alguns dizem – significa a mesma coisa) em diversos santuários, tem músicas especiais e ainda tem direito a frases que a colocam em papel imprescindível para a fé cristã. Você nunca leu TUDO COM JESUS. NADA SEM MARIA?
Pois bem, essa não pode ser a Maria da Escritura. Não é a moça que cantou: “Minha alma engrandece o SENHOR e rejubila meu espírito em DEUS, MEU SALVADOR, porque olhou para a humildade de sua SERVA. Eis que desde agora me chamarão FELIZ todas as gerações, porque grandes coisas fez em mim o PODEROSO cujo nome é SANTO. Sua misericórdia passa de geração em geração para os que o temem.” (Lucas 1. 46-50).
A Maria da Bíblia jamais quereria ser adorada, pois é uma adoradora. Em momento algum requereria o título de RAINHA, pois se submeteu ao privilégio de ser ESCRAVA DA GRAÇA sob a mão do PODEROSO. Essa FELIZ serva do Senhor não precisa ser tida como virgem eternamente para ter meu respeito e até gratidão. A Escritura registra que ela teve a BÊNÇÃO DE SER MÃE DE OUTROS FILHOS ALÉM DE JESUS (por favor, leia na sua Bíblia o evangelho de Marcos 6. 1-3). A Jovem mãe do Jesus não foi concebida sem pecado (apenas Jesus foi – se houvesse nascido sem pecado seria uma deusa e a Bíblia não a trata como tal). Ela também não teve seu corpo elevado ao céu (a Bíblia não diz a forma como ela morreu, mas se houvesse tido tão importante destino certamente haveria registro).
Há uma segunda “Maria” bastante difundida. Uma mulher sem virtudes, sem respeito, sem reconhecimento. Essa é “maria” dos evangélicos. Ela surge como uma espécie de resposta à primeira. REPOSTA MUITO MAL DADA, DIGA-SE DE PASSAGEM. 
Deixar de reconhecer quem foi o essa mulher extraordinária é não é ser fiel a Bíblia.  Os “crentes” são especialistas em exaltar servas fantásticas como Sara, Rebeca, Raabe e tantas outras. Isso é muito bom. Mas Maria, a moça dependente do Senhor é posta de lado. E não vejo dentre servas e servos de Deus, ninguém que como Maria, tenha evidenciado de forma tão prática o que é submissão ao Senhor.
Maria era sim uma mulher simples, falível, pecadora. Mas foi sim fundamental na execução dos planos de Deus para a vida daqueles que seriam salvos por meio de Cristo. O Senhor Deus quis dá a esta humilde serva o privilégio de ser instrumento nas mãos d´Ele para execução dos Seus planos. Assim é que deve ser vista, como um exemplo de cristianismo prático. Mas não como uma “deusa” nem, como uma qualquer, sem papel no Reino de Deus.
Quero muito ser pai de uma menina. E quando minha pequena nascer quero ensinar-lhe a viver olhando os grandes nomes da fé e aprendendo deles. Maria a menina corajosa e humilde de Israel é sem dúvida o maior exemplo de serva de Deus que um pai pode querer ensinar para sua filha.
Enfim, rejeito as duas “marias”, mas deleito-me pelo privilégio de ser irmão pelos laços da Cruz da verdadeira Maria, a Maria da Bíblia a Maria que exalta ao que tem que ser exaltado.

Que o Deus de Maria nos cuide!
Um abraço carinhoso,
Pr. Caco

PS.: Todos os textos bíblicos citados foram retirados da Bíblia Sagrada co-edição VOZES E SANTUÁRIO (Versão Católica).                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 

16 comentários:

Luiz Jean disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
unidade da igreja disse...

Bom gostei de como você fez a abordagem deste assunto,pois a maioria dos cristãos não sabem fazer o mesmo de forma tão simples e clara;preferem insultar e críticar do que realmente explicar,
continue assim pregando as escrituras,
que Deus continue te enchendo de graça para sempre ser sabio no falar.
abraços

Priscila Oliveira disse...

Gostei da sua abordagem neste assunto,pois a maioria dos cristão protestantes não sabem falar sobre o mesmo de forma tão simples e clara,preferem ser agressivos passivos ao falar do que realmente explicar...Que a cada dia Deus ultilize sua vida para continuar explicando as escrituras sagradas.
abraços Deus seja contigo!

Betel Brasileiro Seixas disse...

Nobre Pr Ricardo, não torna-se latente o meu apreço pelos seus escritos. Mas quero registrar que hoje houve uma superação, pois o texto encontra-se simples, harmonioso e elegante. Dotado de uma teologia refinada e verdadeira, sem as esdrúxulas contradições que encontramos nas esquinas.
Não sei se você é filho de alguma Maria, com eu da Maria Alice, mas tenho absoluta certeza que és filho do Deus todo poderoso o qual lhe capacita com sábias palavras.
Graça e Paz
André Gustavo

Jailson Santos disse...

Graça e paz Rev. Também minha opinião é como os demais amigos; um texto simples, recheado de verdade e boas explicações das verdade das Escrituras em relação a essa sublime serva do Senhor. Mas, como sempre sou detalhistas nas palavras, pois, elas podem revelar muitas vezes o que não pretendemos expressar. Em relação ao seu escrito sobre "os evangelicos", em relação a Maria, acredito que não pode ser generalizado pois, assim mesmo você declarou o respeito e os valores correto que a Palavra dá a Serva Maria.Verdade que eu ensino e creio também.Por isso,acredito que não cabe o termo "os Evangelicos" Abraço meu amigo, Deus O guarde. Pr Jailson Santos, Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil.

Julyanne Rezende disse...

Pastor Caco meu querido ...
A cada texto uma superação heim?
\O/
Gostei muito ... fiquei feliz pela bela abordagem .
Maria sim é um grande expemplo para todos nós.
Que o Senhor te abençoe imensamente.

Beijoka

Douglas Maranhão disse...

Na minha humilde opinião, um texto que deveria ser difundido, senão propagado em nossa comunidade, pois é simplesmente esclarecedor.Muito obrigado Ricardo por compartilhar conosco seu aprendizado cristão, e que continue nos brindando com essas crônicas precisas e pontuais, sem descriminar nem desmerecer ninguêm, apenas mostrando a verdade.

Douglas Maranhão disse...

mais uma vez, um texto maravilhoso, e desta vez, mais que uma crônica precisa, esclarecedora sem descriminação,PARABÊNS Ricardo, que Deus continue te iluminando

millane disse...

Pr. Ricardo PARABÉNS pela visão e pela forma de expressá-la;Um texto simples,objetivo,visionário, excelente...
Infelizmente nos são apresentadas estas duas facetas de Maria,que são (Com o perdão da palavra) mera ignorância!

Que o Senhor nosso Deus continue a te abençoar!

erivan disse...

Parabens Rev. Ricardo (caco), fico feliz em ver como você faz uma abordagem como já foi dito, simples mais completo no seu propósito. Que o nosso Deus continue lhe usando pra evangelizar através desta ferramenta, me orgulha muito ter vc como compamheiro de Ministério.
Um xeiro no coração.
Seu amigo e admirador
Rev. Erivan Gomes

Marcos Ramos disse...

É verdade que a “Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias” de Pv 31 e ss. não é Maria. Mas deveria: por causa de suas características: mesmo que não detalahdas. É de se dito que não é que apenas existam raramente tais Marias, pois existem muitas delas que se comportam bem, (veja-se verso 29). No entanto, há como encontrá-las, no entanto não podem ser encontradas doze delas em uma dúzia. Elas podem ser encontradas apenas entre aquelas que temem ao SENHOR, (veja-se verso 30). Esta mesma mulher é tão preciosa como a mesma sabedoria, a qual também é mais valiosa do que as perolas (veja-se Pv 3.15 e 8.11). Quem encontrou uma delas, “acha o bem e alcançou a benevolência do SENHOR” (veja-se Pv 18.22). É um presente de Deus e “a coroa do seu marido” (Pv 12.4); você não falou sobre que ela fora isso para José não foi? Mas enfim. Crê-se que José deve ter agradecido freqüentemente por ela. E hoje, os jovens que quiserem uma destas, devem pedi-la seriamente, como sabiamente faziam os pais pedindo a tempo ao SENHOR uma mulher assim para os seus filhos. Parabéns pelos esclarecimentos práticos e úteis e que se somem cada vez mais informações sobre esta bem-aventurada mulher.

Thaise disse...

Como sempre,voce tem um jeito especial de abordar cada tema...Esse em expecial tinha e causado até curiosdade quando perguntei sobre sua proxima abordagem e me disse"Ave Maria". Mas como sempre, voce nos alegra, e acrescenta em nossas vidas! Amei o texto! Grande beijo.

Venha Ver Angola disse...

Demorei mas passei por aqui. Como sempre vc aborda os textos biblícos de forma simples e pratica, sem mitos ou verdades inventadas. Muito boa a colocação de Maria... ela foi, sem dúvida alguma, um instrumento precioso nas mãos do Criador.
Que Deus continue nos abençoando e que nós consigamos ser como Maria, que seu exemplo de servidão nos sirva de reflexão para alcançar a graça que não somos merecedores. Deus abençoe!

(Kaline Melo)

Ana disse...

Inteligente e objetivo.
Respeito profundamente o que eu li e concluo que existem pontos de vista, crenças e comportamentos diferentes sobre Maria, para nós católicos: Virgem Maria, ou Nossa Senhora, ou vários outros nomes que lhe foram dados.
É peculiar a forma com que cada um trata desse assunto, (o que na verdade não deveria ser).
Pois bem, escrevo então o que Maria significa de uma forma bem particular: Minha mãe, que trouxe ao mundo o nosso Salvador!Instrumento precioso de Deus! Merecedora de todo o nosso carinho e devoção.
Te admiro, Pr. Ricardo, pela forma sensata e compreensiva com que abordou o tema.
Foi prazeroso poder ler o que foi postado!
Abraços,
que Deus continue sempre com você!
Belo Horizonte - MG

Cybeli disse...

Bem, mais uma vez vou ter que plagiar e aplaudir todo seu texto, que como sempre, com total clareza abordou esse tema... Pois nós evangélicos respeitamos sim Maria e todos que fazem ou fizeram de tudo para propagar a palavra de Deus, mas não os veneramos, pois somente ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás (Mateus 4:10). A única coisa que podemos fazer é imitá-los e não adorá-los.

Que Deus continue sempre te guiando...( Ah! Gosto muito de tudo que vc escreve, Vou começar uma campanha: (Ricardo, escreve um livro??) huhauhauhau

Priscila Américo disse...

Ricardo, excelente texto!
Explanação muito clara e verdadeira! Abraço