sábado, 2 de outubro de 2010

Desprezando a Graça e Vivendo em Desgraça

Os meus corajosos leitores aqui no ORTOPRAXIA perceberam a grande ausência deste pobre homem nos últimos meses. Infelizmente as muitas atividades impediram-me de atualizar o blog com a devida freqüência. Estou tentando mudar isso e passar postar ao menos quinzenalmente. Nessa batalha contra o tempo, esse meu voraz inimigo, peço que aqueles que tiverem linha de pensamento cristã reformada, que gostem de escrever e claro, queiram colaborar, que mandem os seus textos para meu e-mail (prcacopereira@hotmail.com).
Hoje gostaria de compartilhar alguns pensamentos acerca da
desgraça de uma Igreja que deixou de viver pela graça ou que a transformou em licença para tornar a Igreja de Cristo em um grande reduto de lixo teológico e de práticas altamente bizarras.
Atualmente contribuo como professor em três instituições de ensino em nossa cidade, o que me possibilita conhecer “todo tipo” de pensamento teológico e de práticas das comunidades evangélicas e ou ditas protestantes. A cada encontro com alunos sou surpreendido com coisas do tipo: “Testemunho de uma senhora que diz ter ido 15 vezes ao inferno e 7 ao céu”, ou histórias sobre novas unções, determinações de cura, vitórias financeiras, batalhas espirituais, línguas mais que estranhas, curas, libertações, prodígios, novos segredos de igrejas que cada vez mais parecem com as religiões gregas de mistério; ainda ouço crentes dizerem que a cada leitura de uma mesma passagem da Palavra tem uma nova revelação sobre o sentido do texto, que necessariamente não é aquele que o autor empregou.
Vez por outra me chamam de cru, de pastor da “Cemiteriana” ou sou questionado se tenho mesmo o Espírito Santo, enfim, acabo virando o monstro da história. Pois bem, quero antes de continuar, dizer algo de forma muito clara: CREIO SIM QUE DEUS PODE AGIR EXTRAORDINARIAMENTE EM NOSSOS DIAS das mais diversas formas previstas nas Escrituras Sagradas. Não duvido de forma alguma do Seu poder. A questão é que as pessoas tornam ordinário e normativo aquilo é claramente extraordinário.
Os homens não perdem a maldita mania de colocar como algo normativo aquilo que deve ser encarado como experiência pessoal, e essa postura só trás males para a Igreja.
Tenho aproveitado o tempo em que estou sozinho no carro para ficar ainda mais na companhia do Senhor que nunca me deixa só. Nesses momentos reflito e coloco diante d’Ele minhas preocupações. Fico em busca dos fatores causadores dessa banalização da fé e a cada dia percebo que a única e simples razão é o PECADO
. Mas esse nosso inimigo é multifacetado e “age” de diversas formas. Em todas elas, porém, acontece o que chamo de mediocrização da graça.
A graça de Deus é uma das mais fantásticas doutrinas da Escritura Sagrada. Ao estudar essa verdade sou levado a perceber que fui comprado pelo precioso sangue de Cristo, salvo da condenação eterna, justificado, regenerado, convertido, em virtude do favor imerecido de Deus para com um pecador miserável. Mas é muito mais que isso (como se não fosse o bastante). Ela é a verdade que humilha o homem, pois o faz ver-se como de fato é: pecador miserável, incapaz de realizar um bem espiritual, morto em pecados, escravo... Enfim, ela mostra-me que não há em mim nenhum mérito sequer, pelo qual eu possa ser considerado aceitável a Deus. Mas em sua maravilhosa ação a graça gera a mais indizível alegria em um ser tão imerecedor. O apóstolo Paulo escreveu sobre isso com simplicidade e beleza fantásticas: “... e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo; pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.6-9). Ler esse texto, reconhecer a incapacidade humana e perceber-se alvo da graça que solapa o pecador das garras do inferno e o lança aos pés da cruz, dando-lhe vida, enche o ser da mais sincera alegria, de forma que em seu peito baterá um coração que não tem outra motivação, senão viver para glorificar aquele que muito nos amou.
Mas o que acontece com a Igreja em nossos dias? Simples! Os homens que se dizem servos esqueceram-se de quem são (pecadores miseráveis), agora apoderados do “título” herdeiros se posicionaram como autoridades sobre o próprio Deus. Não aceitam mais as enfermidades, afinal de contas, são filhos do Rei! Outros falam “línguas dos anjos” (não se sabe se dos caídos) em rituais que são completamente distintos daqueles prescritos pela Palavra. Entendem que podem fazer isso, afinal de contas são super espirituais, tem intimidade maior com o “céu”, são mais santos. As curas, milagres, descarregos e libertações acontecem a gosto do freguês. Mas tudo isso é normal, afinal de contas, “somos bons”! Temos o direito de decretar a bênção, não aceitar as enfermidades, estabelecer os cultos como nos agradam, ter os mistérios e as revelações que nos enchem de orgulho, ouvir as músicas que alimentam nosso egoísmo, nossa mesquinhez... Temos sim todo o direito, pois somos Herdeiros do Rei.

A igreja dita evangélica está mergulhada num esgoto de lixo teológico e tem tentado afundar a graça de Deus no meio da lama podre de comunidades egoístas, formadas por pessoas doentes, cheias das mais purulentas feridas espirituais, alimentadas por líderes canalhas, covardes, que não cuidam do povo, não ensinam a viver pelo favor de Deus, compreendendo que nada merecem do Senhor, mas que a graça lhes basta; que ela vale mais que qualquer outra coisa. O que é pomposo toma o lugar da simplicidade do evangelho. A prosperidade, as curas e tudo que é “fantástico” rouba o status daquilo que verdadeiramente é o bastante.
Carecemos urgentemente de pregações acerca da graça que humilha, que reduz o pecador a sua condição correta: o reconhecimento da incapacidade, a contrição verdadeira, o pó! Quando isso acontecer a igreja será veramente alegre, não precisará se apegar ao extraordinário, não correrá em busca dos charlatões que se dizem super espirituais, apóstolos poderosos, falsos patriarcas e toda essa corja de bandidos que só “mazelificam” a Igreja e lhes acrescentam dores.
Quando a graça for amada pelo povo de Deus, ele compreenderá que não tem o direito de exigir nada do Senhor, ou de buscar alegrias, prazeres, motivações em outros homens ou nos seus “prodígios”... Quando isso acontece a Igreja como Paulo, aprenderá que A MINHA GRAÇA TE BASTA!!

Que o Deus da graça nos cuide!

Pr. Caco Pereira

10 comentários:

Thaíse disse...

Nossa Ricardo...Dentre os textos lidos,muitos deles eu simplesmente ameiiii!!!Mas achei nesse de hoje algo " a mais". Digo que pude perceber a realidade dos cristã de hoje...O que os faz seguir a Cristo???A fidelidade, ou busca insaciavel de grandes emoçoes,milagres...Ele provuram as bençãos ou o abençoador???Sabe..Entendo perfeitamente sobre o que é SENTIR o toque do Senhor atravez do Espirito Santo,entendo perfeitamente quando essa alegria nos invade,nos enche!!E é glorioso realmente!!!! Mas servir vai muito alem disso...Concorco plenamente com vc... Espero até eu mesma começar a enchergar a graça do Senhor...Como ela é..E ver que não sou merecedora de nada..E nada realmente devo exigir do Senhor...Apenas sua graça me BASTA! Thaíse Batista

Anjos do Riso disse...

Meu querido...
- Que texto massa ... se alguns tivessem a sua coragem, e expor realmente essa verdade, muita coisa seria mudada!
Na realidade muitos buscam apenas benefícios próprios por isso cada dia mais as igrejas estão lotadas e os que dizem " Vasos de Deus " só fazem coisas que mancha a verdadeira imagem de Cristo!
É vergonhoso ver, muitos homens titulados como Pastor usarem do seu " poder " para enganar os outros. MISERICÓRDIA SENHOR !!
Apenas vamos orar e pedir misericórdia a Deus, p essa realidade mudar !

Anônimo disse...

Parabéns pelo Texto Pr.

Foram belas palavras e não, vc não é Pr. de uma igreja "cemiteriana", apenas foi uma pessoa sensacionalista que lhe disse isso que acha que para uma igreja ser cheia do espirito Santo, eles devem viver oferecendo milagres e fazer alarde quando acontece o mesmo(ou dizer que aconteceu). ;]

Priscila disse...

O que posso dizer é que Deus continue te dando coragem para se dispor a se expor tanto assim, como fizeram alguns reformadores tempos atras..." Enfrente os leões...", E me admiro por vc nao fazer o mesmo que muitos pastores tem feito;se moldado a teologias vagas, futeis e tortas como as que vc mesmo mencionou!As pessoas precisam saber que nem todos estão corronpidos!
Que Deus te cuide sempre!

Isaac Marinho disse...

A Graça é tudo o que carecemos...

Não poucas vezes ouvi o pastor José Carlos de Lima dizer que o homem sem a Graça não passa de um desgraçado. Não há como dizer o contrário.

Uma das canções cristãs (ou hinos) que mais me faz sentir consolado, em paz com Deus, renovado e especialmente quebrantado (por me lembrar do meu estado original) é Amazing Grace ("Graça Maravilhosa"), de John Newton.


Amazing grace, how sweet the sound
Graça maravilhosa, quão doce o som
That sav’d a *wretch like me!
Que salvou um *miserável como eu!
I once was lost, but now am found,
Eu já estive perdido, mas agora fui encontrado
Was blind, but now I see.
Estava cego, mas agora eu vejo.

*wretch por vezes tem sido traduzido como "náufrago", mas os significados mais aceitos seriam: miserável, infeliz, desgraçado e patife.

E é isto. Sem a Graça não passamos de desgraçados. Colocar a Graça em segundo plano é dar pouca importância ao sacrifício de Cristo, pois ele é a graça de Deus que se manifestou trazendo salvação a toda a humanidade (Tito 2.11).

A Graça é o que nos basta!

Givaldo Lima disse...

Parabéns pelo texto!!!
A crise do evangelicalismo contemporâneo está diretamente ligada a teologia fraca e disseminada por Igrejas que abandonaram princípios norteadores do Cristianismo. É oportuno uma vez que estamos próximo a data 31 de Outubro, data comemorativa da Reforma Protestante, revermos pontos tão importantes e que hoje foram abandonados por um misto de pragmatismo, relativismo e sincretismo. Não proponho uma "Nova Reforma", pois entendo que há pessoas que conservam os princípios de lá, mas proponho pessoas assim como você, eu e tantos outros que se identificam com os princípios reformados erguer cada vez mais forte a voz e denunciar o descaso que a Igreja Brasileira se envolve.
Soli Deo Gloria.

André Bronzeado disse...

Pastor e Professor Ricardo, graça e paz! De fato, vivemos em um tempo em que pessoas que se dizem servas de Deus, na verdade estão se transformando em senhoras de si mesmas enquanto que Deus é apenas um meio para conseguirem o que querem. A vida cristã piedosa tem sido substituída por uma religiosidade egoísta, utilitarista e mercantilista. Os que fazem essas coisas não são crentes, são pessoas mal encaminhadas por líderes charlatões.

Ei, cadê meu Blog nessa barra lateral, rapaz? Paz! Deus te abençoe grandemente em seu ministério apologético. Deixa o povo falar, o Diabo fica com raiva mesmo! Não tem jeito...

Daniel disse...

Tua graça me basta... Só isso já diz tudo...
Este é um assunto no qual muitas pessoas precisam refletir... e precisam saber opinar...
Existe um pecado no qual Deus nos alerta, mais que os outros...
Blasfêmia contra o Espírito Santo...

Então, Gostei do texto e que Deus continue a abençoar você...

André Gustavo disse...

Gosto dos seus escritos, pois não passa a mão na cabeça de ninguem. As pessoas estão esquecendo que quem esta assentado no trono é o nosso Deus. Mas as pessoas continuam colocando o homem no centro de suas vidas. As teologias pobres estão ganhando espaço e superlotando as igrejas, por esse motivo um grande pregador disse: "hoje as igrejas estão levando mais gente para o inferno do que os prostíbulos"
Que o Deus da graça derrame o seu amor sobre nossas vidas

Robinson disse...

Muito bom, Ricardo. Parabéns! Deus continue te abençoando no uso do dom da palavra pregada, ensinada e escrita.