sexta-feira, 18 de junho de 2010

ALEGRIA JÁ!

A cidade de João Pessoa sempre tão acostumada com um sol esplêndido tem vivido dias sombrios, com muito frio e chuva. Olhamos para os céus e não conseguimos contemplar as enormes nuvens brancas passeando; há um clima tenso no ar. Mas daqui a pouco isso passa, volta tudo ao normal... Assim como a capital paraibana vive dias sem sol a Igreja de Cristo tem perdido um de seus maiores tesouros, A ALEGRIA! Parece que algumas nuvens escuras pairam sobre a NOIVA. Há certa tensão! Temos sempre motivos para reclamar, chorar, maldizer, enfim, estamos sempre meio “capengas”.
Lembro-me que um dos motivos pelos quais eu mais temia “virar crente” era o medo de me envolver com um povo triste, que não tinha prazer e que sempre vivia com aspecto carrancudo. Um dia fui convidado para um retiro espiritual da Igreja Presbiteriana da cidade de Patos. Lembro que disse para minha mãe: “Olhe, eu vou, mas tenho certeza que vou querer voltar no primeiro dia”. Bem, logo que chegamos lá, fui surpreendido, pois uma das primeiras atividades naquele encontro era JOGAR FUTSAL. Eu estava descobrindo que “crente” se divertia, tinha alegrias! Naqueles dias Cristo revelou-se Deus Salvador em minha vida, solapou-me da condenação eterna e deu-me o prazer de se FILHO.
Anos se passaram, mas aquela sensação de medo permanece muito presente em minha vida: estou envolvido com um povo triste, que não tem prazer e sempre vive de modo carrancudo! As vezes “testo” os ditos cristãos quando nos encontramos nas ruas da pequena cidade onde pastoreio e lhes pergunto: Oh meu irmão (ou irmã) você tá bem? Como anda a vida? As respostas via de regra são: “Óh pastor, vou levando a vida, é um sofrimento, uma prova!” Ou: “Tô aqui na luta carregando meu marido (esposa, filho, sogra, vizinho...) aquela cruz que Deus me deu”. Essas respostas e outras mais “duras de ouvir” são dadas com uma expressão facial de dor, sofrimento, desespero. Mas como pessoas que se dizem salvas pelo poder do sangue de Cristo, solapadas das garras do inferno, filhas de Deus... Como essas pessoas podem ter no rosto expressão de tristeza e dor? Porque “membros” do Corpo de Cristo são tão amargurados enquanto deveriam ser os mais felizes de todos os homens?
Sinceramente creio que isso passa pela falta de gratidão ao Senhor. Essa ingratidão gera uma teologia que faz com que as pessoas pensem cada vez menos nos motivos de serem alegres, vibrantes, constantes no Senhor e cada vez mais naquilo que lhes entristece causa dor e desespero. Além disso, a falta de reconhecimento muda completamente a relação do homem com Deus. As pessoas dão o dízimo, vão ao culto, fazem boas obras, evangelizam, enfim vivem o evangelho do “PARA RECEBER A BÊNÇÃO”. Já os corações gratos fazem todas essas coisas como “RESULTADO DAS BÊNÇÃOS JÁ RECEBIDAS!”
No salmo 34 Davi de forma magnífica pronuncia palavras de “bendizeres” ao Senhor Deus, exaltando-o como grandioso, cuidador, justo... O verso 5 desse texto é perfeito em beleza e carrega uma maravilhosa teologia quanto a perspectiva de vida dos servos de Deus: Os que olham para ele estão radiantes de alegria; seus rostos jamais mostrarão decepção.” O salmista diz de forma bastante simples que ser servo do Senhor é transbordar de alegria, de prazer, de motivação de vida. Por isso, não dá para conceber pessoas que se dizem servas do Deus da alegria e vivem em amargura.
S
ejamos um povo cujos rostos estão radiantes pela felicidade, pela alegria de ser filhos, de ter acesso, pastoreio, intimidade, vida eterna, perdão, paz... Carecemos com urgência aprender a ter prazer em ser quem somos, não por nós, mas por Aquele que nos amou de maneira imensurável. Agostinho dizia que “Deus tem mais prazer em nós quando temos mais prazer nEle!”. Essa é uma verdade que deveria nos fazer buscar o que Jonh Piper chama de “hedonismo cristão” (Leia o livro EM BUSCA DA FELICIDADE). Ter prazer em Deus e alegrá-lO por sermos felizes nEle deve ser um combustível fantástico para que vivamos com intensidade de gozo em todas as áreas da nossa vida, de forma que o nome do Senhor seja glorificado em nós como igreja, família, patrão, empregado, pai, pastor, mãe, professora, amigo, amiga...Quando temos alegria de servir a Deus intensamente, somos mais e mais bem-aventurados. O cristianismo não é um sistema religioso que nos impõe o peso de andar de rosto amargurado, cheio de reclamações e dores. É antes de qualquer coisa, a evidenciação de que a obra de Cristo na cruz foi perfeitamente aceita pelo Pai, de forma que todos aqueles que foram lavados e remidos pelo seu sangue precioso vivem uma fé autêntica e autenticada por uma indizível disposição de vida grata e alegre por adorar ao Deus vivo! É também um estilo testemunhal que comprova que O CRISTÃO NUNCA PODERÁ SER VISTO DOUTRA FORMA, SENÃO COMO UM SER FELIZ! Em última instância afirmo que se alguém se diz discípulo de Jesus e não é um entusiasta da alegria como característica fundamental dos servos de Deus, esse alguém nunca experimentou a presença do Espírito Santo em sua vida.
Não anulo em hipótese alguma a possibilidade de arrefecimento da alegria, ou de dores, tristezas e sofrimentos na vida dos que amam a Deus. Se fizesse isso, seria infiel à Escritura. Mas a tese fundamental é que aqueles que amam ao Senhor são felizes n’Ele em qualquer situação. Assim, a alegria em meio aos sofrimentos é possível em virtude da presença do Deus Soberano ao lado dos seus filhos nos momentos difíceis. Olhe o Salmo 23.4 e perceba nesse texto que o vale da sombra da morte haverá, mas o temor é refreado pela constante companhia que os filhos do Deus Vivo tem nesses momentos. É possível não ser alegre com tamanha convicção? Quero concluir convidando-o a não ser mais um crente chorão, resmungão e maldizente. Conclamo para que olhe com gratidão para TUDO que o Senhor Deus fez em seu favor e encha-se da alegria genuína, resultante da maravilhosa obra do Espírito. Olhe para o Autor e Consumador de nossa fé e perceba na perfeição de Seu sacrifício o mais forte combustível para que você seja um FELIZ ADORADOR!!

Que o Deus da alegria se alegre de nós por sermos um povo ALEGRE NELE!

Pr. Caco

9 comentários:

Ronaldo Soares dos Santos disse...

Olá pastor ricardo! li e gostei do artigo: "Alegria já" você foi bastante feliz nesta abordagem. sublinho tudo o que você comentou, inclusive estou trabalhando num sermão que segue esta temática, peço-te permisão para fazer algumas citações deste artigo ok? thau! paz.

Cybeli disse...

Quando acabei de ler esta postagem, a primeira coisa que veio em minha mente foi O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO, onde os pastores estavam a vigiar os seus rebanhos e eis que um anjo do senhor lhes cercou de resplendor e eles temeram. E eis que o anjo do senhor lhes disse; NÃO TEMAIS, PORQUE EU VOS ANUCIO A GRANDE ALEGRIA, que será para todo o povo, pois na cidade de Davi, nasceu hoje o Salvador que é Cristo o Senhor (Lc2 10/11). Então quando o Senhor nasceu, foi anunciado a alegria, e é esta alegria que deve estar presente em nossas vidas, a alegria sadia, que não nos atrapalhe de servir a ele.
Vou citar um exemplo; Faço parte de uma determinada igreja, onde concordo com algumas coisas e discordo de outras.(Não estou falando mal dela, apenas comentando que as vezes não concordo com as interpretações de alguns irmãos)Vejam só; nessa igreja, temos que nos "fechar totalmente para as coisas do mundo",(assim como eles dizem). Lá não podemos ter televisão e nem assistir a mesma, pois é através dela onde está a maior forma de prostituição etc.Não podemos exercer nenhuma atividade física, como por exemplo o futebol, pois na maioria das vezes durante a partida é chamado imensos palavrões etc etc etc. Bom, resumindo até concordo, ora, tudo bem que aconteça tais coisas que através dela nos afaste de Deus, mas precisamos dela para assistir jornal, por exemplo, como vamos nos manter informados? Ou, se jogarmos uma partida de futebol somente com irmãos, será que iriam ter palavrões?Pois é, acho que quando Deus nos convidou a servir a ele, não foi para que nós vivêsse-mos tristes, como se a vida tivesse acabado naquele momento em que aceitamos a servir ao Senhor, muito pelo contrário, ele veio nos dar a alegria e nos deu o livre arbítrio e a sabedoria, para que possamos saber descinir o certo do errado.

adriana disse...

Pastor,como sempre muito bom artigo.
Sim, concordo que o cristão deve SER alegre e nao ter alegria. Porém o que tem afligido o meu coração hoje são os cristãos que dizem que servem a Deus,e na faculdade copiam seus trabalhos da net,não querem estudar e colam na hora da prova com a desculpa que não tem tempo, são os crentes que furam fila no banco , na padaria etc,irmãos que fazem copia do cd ou dvd,jovens que saem do culto direto pra os barzinhos... nossa crentes que tem relações sexual no namoro, e estão lá na equipe de louvor da igreja.
Pastor não quero fugir do artigo, mas entendo que crentes assim por mais que tenham ALEGRIA, não são ALEGRES.
Nosso Deus vivo e eterno a Ele toda a GLÓRIA pra sempre, amém

Poliana disse...

Muito bom! Pois é, as pessoas esquecem da essência das coisas, deixam de enxergar o belo, pinta o mundo de cinza. E não é bem assim, a alegria está em amar a Deus, as pessoas, a natureza, aquilo que de graça recebemos, apenas pq Ele nos ama. Pq não nos alegramos com a felicidades dos outros? Somos comunidade e aquilo que bom, seja meu ou de meu irmão, é motivo de alegria.
PARABÉNS pelo texto!

MINISTRO disse...

Dessa vez não tenho do que reclamar, o senhor agiu como deve agir um cristão que pensa no bem da Igreja. Parabéns!

JOELSON GOMES disse...

É isso, Deus é alegre e dança, e nós devemos aprender a dançar.


http://gracaplena.blogspot.com/2009/03/deus-ja-dancou-por-sua-causa.html

Kaline disse...

Adorei o seu artigo! muito verdadeiro... quantas pessoas tem tudo e ainda assim não são felizes... parece que estão em um calvário. Eu sou grata a Deus até pelos problemas que tem em minha vida... e quando você me ver triste é algo bem grave que aconteceu, mas que jaja vai passar. Acho q todos deveriam se alegrar mais. Afinal Deus nos dá tatas bençãos maravilhosas é só parar ra refletir... abraço e até mais

Caline Galvão disse...

Entrei aqui pela primeira vez e fui logo ler este texto... rsrsrs... É, vc tem razão. Acho que é ingratidão mesmo... Tenho QUE melhorar nisso. Gostei do seu blog!!!

Josafa disse...

Meu amado Rev. Ricardo,

tenho a convicção de que a Igreja (noiva) de Jesus Cristo, não é essa, corrupta, gananciosa,.....nem todos que dissem Senhor, Senhor entraram no Reino dos Ceus, minha convicção está relacionada a Palavra de Deus, quando fala sobre o Trigo e Joio, conhecemos a Palavra, e por isto não podemos nos calar, parabéns pelo precioso artigo.

do servo que nem sempre srve.
Pb. Josafa Albino