quarta-feira, 28 de outubro de 2009

AO MEU AMIGO XANDE

Esses dias, no intervalo das aulas do seminário parei para bater um papinho com meu amigo e colega de ministério, o Alexandre, resolvemos que ele passaria a ser co-autor do ORTOPRAXIA. Iremos dividir a responsabilidade e o privilégio de abençoar vidas através de nossos textos. Esse moço é um bom amigo, tem um coração pastoral, começa a se destacar como um especialista no estudo das línguas originais...

Como forma de dar as boas vindas, a carta de hoje será direcionada ao Rev. Alexandre. Vamos lá:

Olá Xande,

Na paz? Espero que sim.

Mano, de hoje em diante você estará escrevendo comigo no ORTOPRAXIA. Meu sincero desejo é que seja relevante para a vida de cada pessoa que ler suas publicações. Estou certo de que Deus, segundo a vontade Soberana dEle, usará seus artigos para promover edificação, exortação e consolação para nossos irmãos e amigos.

Antes de publicar sua primeira postagem gostaria de compartilhar algumas de minhas preocupações acerca da igreja brasileira, de seus líderes e da política eclesiástica que em pouco se diferencia daquela que se pratica nas diversas esferas do poder público de nosso país. Certamente você já conhece parte delas, mas vamos lá:

Meu irmão, as vezes olho para os pastores e teólogos do passado, penso na vida de homens como Simonton, Baxter, Lutero, Calvino, Own e tantos outros e sinto-me envergonhado da postura que nós como líderes temos tido em nossa nação. Aterroriza-me ver a igreja sendo dirigida para precipícios de evangelicalismo liberal e pragmático, do neopentecostalismo barato, do neopuritanismo ou do tradicionalismo gélidos, mortos, cruéis... Enfim, sofro ao ver que muitas vezes a Igreja do Senhor, aquele povo pelo qual Ele se entregou para desarraigar do mundo perverso (Gálatas 1.4,5) e torná-lo propriedade exclusiva Sua, tem sido apenas um instrumento para atender as “preferências” litúrgicas dalguns, as “necessidades” financeiras de outros ou para obter os resultados planejados minuciosamente nas reuniões da “diretoria da Igreja S.A”. Infelizmente, muitos tem usado a Igreja de Cristo como uma espécie de “escada da fama”.

Outro dia ouvia a Drika falando com toda empolgação sobre o livro Mochila nas Costas e Diário na Mão – A Fascinante História de Ashbel Green Simonton (Elben M. Lenz César). Ela me dizia com tanta alegria e admiração sobre como aquele jovem moço viveu para honrar o nome do Senhor e a forma como Deus o usou em nosso país. Eu via um brilho de gratidão a Deus em seus olhos. Mas depois meu amigo, ela questionou sobre o que nos falta hoje, sobre a infidelidade e indisposição do pastores em dedicar verdadeiramente suas vidas ao Senhor (não recordo bem as palavras), mas não me esqueço do tom indignado de sua voz. O rosto que antes brilhava de alegria agora demonstrava tensão, tristeza, dor... Como eu me senti amigo? ENVERGONHADO! Não havia outro sentir.

Envergonho-me do que temos feito da Igreja! Infelizmente vivemos dias em que os pastores estão mais preocupados com seu crescimento dentro da denominação, com ascensão política, com belas estatísticas. Em nome disso surgem os velhos e péssimos “arrumadinhos”, os acordos velados. Não há preocupação sincera com o pastoreio dedicado, com a exposição fiel da Palavra da Vida, com a dedicação amorosa ao Rebanho de DEUS! Estou certo de o Senhor jamais se furtou de preservar remanescentes fiéis, o que penso é que em nossos dias eles parecem acanhados, calados, meios escondidos; talvez amedrontados como Elias, numa caverna, com medo dos homens de Jezabel (1Reis 19.1-18).

Envergonho-me das pregações vazias que tem sido pregadas em muitos púlpitos de nosso país. São sermões sem vida, sem relevância, sem amor... Pregadores tornaram-se meros oradores, que propagam discursos agradáveis, motivacionais, bons de serem ouvidos. A “auto-ajuda gospel” agrada aos “clientes” que por sua vez agradam financeiramente os seus “motivadores”, “gurus”. Ao passo que agrada os ouvintes, a falsa pregação torna as pessoas cada vez mais egoístas, ensimesmadas, sem amor, sem desejo pela glória de Deus e pelo crescimento dos irmãos. A igreja torna-se irrelevante, deixa de ser bênção para o próximo, como conseqüência disso, torna-se letárgica, inoperante, quase morta!

Alexandre, o que falta em nossos dias é integridade. A Igreja, mais precisamente a liderança, carece de uma vida comprometida com o Senhor, com sua glória e majestade. É urgente que nos levantemos como servos de Deus, que desejemos imensamente ser usados como instrumentos pelos quais Ele cuidará do povo que pertence a Ele e não a nós. Tenho plena convicção que o nosso Deus quer cuidar daqueles por quem Cristo morreu e Ele que fazer isso se utilizando de pecadores miseráveis que foram solapados das garras do inferno pela graça salvadora e que pela Sua infinita misericórdia foram transformados em pastores do Rebanho do Supremo Pastor.

Que o Senhor nos bendiga, nos pastoreie e nos faça pastores!

Deus te cuide mano,

Um abraço,

Pr. Caco

12 comentários:

Alyson Vilela disse...

Pois é. Falta verdadeira motivação e, às vezes, quando há boas motivações, há atitudes daquelas que enchem o inferno. É de dar nojo certas tendências que deificam o ministro e inferiorizam o que há ao redor. Só não acho que isso é coisa de hoje. Houve grandes homens no passado, mas eles também são exceção, pessoas que fizeram a diferença. Desde que o homem é homem, manipuladores existem.

Ellen Cristine disse...

Seja bem vindo Alexandre =)
É de dar tristeza como alguns líderes tratam o evangelho, banalizam, comercializam... como disse o Alyson acima, desde que homem é homem, manipuladores existem, pessoas q só pensam em sí, usando Cristo p fazer fama.
É triste mas é verdade.

Anônimo disse...

Olá para todos, gostaria de expressar minha preocupação também para com essse assunto, pois me envergonho de certos lideres que assolam nossa ireja e prescisamos pedir muita orientação ao nosso Deus para que assim possamos impedir o crescimento e do desenvolvimento dessas praticas nas nossas igrewja.
Que o nosso deus continue te abençoando Rev. Ricardo!
Presbitero Josinaldo ferreira.

Ministro disse...

Quem esse pastorzinho de meia tigela pensa que é para ficar escrevendo críticas, acusações e tantas outras idiotices lá?

Isaac Marinho disse...

É isto.

Que Deus continue abençoando o teu ministério, Pr. Caco; e que o Senhor Jesus faça do Rev. Alexandre um grande homem de Deus.

Precisamos da Palavra e do exemplo de fé de homens comprometidos com Deus. Que o Senhor esteja se utilizando das suas vidas para abençoar a Igreja.

Um forte abraço.

Fiquem na paz do Senhor Jesus.

Onésimo Mesquita disse...

Nobre, ate que fim pude vir aqui e comentar!
Gostei de verdade, de suas preucupações com o ministerio pastoral elas revelam, não somente sua tristeza como a verdade biblica de que o pastorado deve ser levado á serio e feito com integridade.
À alguns anos li, uma edição da Fé pra Hoje da Fiel,de John MacArthur " Pastores ou Potentados"
que foi edificante. Creio que hoje vemos mais potentados do que pastores.

Mais vamos lá! e que Deus no grande Dia nos ache dignos de sua merce por nossa fidelidade!

Abraço!

Onesimo Mesquita.

moises disse...

Parabéns,

Sigam em frente

Elivanaldo disse...

Ricardo vc tem toda razão, mas ainda há esperança, pois Deus tem levantado servos fiéis ao seu chamado, ministros do Verbo e não da "verba".
Deus abençoe grandemente o Rev. Alexandre a quem adimiro muito e tb a vc meu amigo (sabes do meu apreço por ti).
Siga sempre sendo "exemplo dos fiéis"...

Poliana disse...

Seja bem vindo Alexandre, que sua contribuição seja tão rica quanto tem sido ao do Rev. Ricardo. Que a fé o inspire a falar sobre temas pertinentes. Que sejas mais um instrumento do Senhor, a levar sua palavra e defendê-la fervorosamente. Pr Ricardo, parabéns pelo texto, saibas que compartilho com você da mesma indignação.

Pr. Ricardo "Caco" Pereira disse...

Pr. Ricardo "Caco" Pereira disse...

MEUS AMIGOS, COMO DE COSTUME, COMENTAREI OS COMENTÁRIOS...RS
ALYSON - Concordo com você que desde que o homem é homem manipuladores existem, mas lamento que cada vez mais eles sejam tão imensamente superiores aos servos de Deus;
ELLEN - É sim uma triste verdade, o que vamos fazer pra mudar esse quadro?
JOSINALDO - Valeu irmão pelos seus constantes comentários. Que Deus nos abençoe!
ISAAC - Valeu meu mano!Precisamos de servos comprometidos sim!
ONÉSIMO - Lamentavelmente você tem razão mano, hoje temos mais potentados. Mas Deus jamais deixará de ter os remanescentes fiés;
MOISÉS - Seja bem vindo!Participe ativamente do blog!
ELIVANALDO - Gostei do "o ministro do Verbo e não da verba". huahuhauhuaa
POLIANA - Deus te cuide minha amiga. Sei que em muito compartilhamos dos mesmo pensamentos de fé .

MINISTRO - Meu caro amigo ou não! Serei simples... Você tem todo o direito de pensar o que quiser sobre meus artigos e dizer o que pensa. Mas não tem a menor autorização para levar isso para o lado pessoal e buscar me ofender. Por que?
1º É pecado contra o Senhor Deus;
2º Não é educado;
3º Foge do Objetivo do Blog;
4º Terei que deletar seus posts
Fora isso querido, discuta no campo das idéias e com a Bíblia na mão. Fazendo assim, ganharás meu respeito.

Deus cuide de todos nós!!

Daniel disse...

Primeiro quero dar um Boas Vindas pra vc Alexandre...
E em segundo: É verdade Pr. Ricardo... Apocalipse 2:10 <~> Muitos Pastores hoje em dia têem muito "medo" de perder suas ovelhas, falando o que Deus manda falar...
Odeio isso, odeio pessoas que tentam distorcer, ou até não falam/passam aquilo que Deus os revêla...
Mais não tenha medo de falar sobre Cristo,Se ele te revela algo...as vezes é apenas para você, e as vezes podem ser para outras pessoas também... Assim como Cristo fazia com seus discípulos, Para seus discípulos falava normal e para as outras pessoas falavá por parábolas...

IBA disse...

Caro Ricardo, atendendo a seu pedido li os bem-vindos para o Alexandre. Tenho certeza que vocês irão fazer a diferença naqueles que acompanham as publicações aqui expressas. Vou deixar minha "marca" (atendendo a pedidos...). Quando escrevi MARCAS pensei no pastorado. Muita visão de pastorado é deformada ou apenas acomodada. Uma frase batida que se tem propalado hoje em dia é a da "ovelha que gera ovelha". Tudo bem, vou concordar com ela, sem queirer elitizar a figura do pastor, mas estes também esquecem que a excelente coisa que escolheram, se devidamente comparada com a figura do pastor rural vai lhes dar muito trabalho. O pastor tosqueia, corre atrás, se suja ao limpar o redil, tem as mãos calejadas da dura lida e acima de tudo mantém um relacionamento muito próximo com seu rebanho, se assim não fosse as ovelhas teriam medo dele. Ovelhas são bichos arredios, desconfiados, com qualquer coisa se assustam. Só para zoar um pouquinho, nunca vi um pastor de rebanho de terno e gravata :o). Pastores de hoje, aprendam mais com os pastores do campo e suas ovelhas começarão a gerar tantos filhos que terão que contratar outros pastores para dar conta do recado. Que Deus nos abençoe!

Fuyxyko,

IBA