sexta-feira, 1 de agosto de 2008

FULANO FEZ ISSO? MAS ELE NÃO É CRENTE?

Quantas vezes você já não ouviu a frase acima?. Geralmente quando somos novos na fé, nossas convicções são postas em jogo por causa de questionamentos desse tipo. Infelizmente somos levados a pensar que pessoas que assumiram um compromisso real com Cristo, que compreenderam que Ele deu seu precioso sangue para lhes salvar, tornam-se impecáveis. E isso acaba trazendo sérios problemas!
Quando somos arrastados pelo poder do Senhor até o trono da graça, não nos tornamos “supercrentes”, não passamos a ter um poder miraculoso que nos impede de pecar. Continuamos humanos, falhos, limitados, pecadores miseráveis.
Há, porém algumas diferenças marcantes entre aqueles que verdadeiramente foram salvos pelo poder do sangue de Cristo e os que apenas ficaram na igreja, mas que não são de fato salvos em Cristo. Pessoas que apenas estão na igreja, mas que não experimentaram o poder de Cristo, simplesmente não conseguem perceber a importância de viver para glória de Deus em todo momento, não sofrem a dor na alma pelo peso do pecado e acima de tudo não têm consciência do sofrimento eterno que está reservado para aqueles que não amam o Senhor Deus acima de todas as coisas.
Uma pessoa por quem Jesus deu seu sangue na cruz do calvário não sente mais prazer quando tem a convicção de que pecou, ela luta contra o pecado, faz o possível para não mais fazer aquilo que desagrada o Senhor. Um salvo não é perfeito, mas busca ser. Leia o salmo 51 e veja o adúltero e homicida Davi clamando pelo perdão do Senhor.
Aqueles por quem Cristo morreu sabem que não devem pecar, mas também estão certos de que quando caírem têm um fiel Advogado junto ao Pai (1Jo 1.8-10); sabem também que a cada dia estão sendo santificados, purificados pelo poder do Espírito Santo que é Deus.
Nós não somos impecáveis, não somos supercrentes, mas isso não nos torna imundos, não nos impede o acesso aos céus. Isso apenas nos leva a uma sincera humilhação diante do Deus santo; leva-nos a buscá-lo ainda mais, clamando para que Ele nos dê forças para testemunhar acerca da sua imensa misericórdia.
Quando você pecar meu irmão, quando você fizer aquilo que desagrada a Deus e o Espírito Santo lhe fizer ter consciência daquilo que desagrada ao Senhor, clame pelo perdão que Cristo conquistou na cruz. Humilhe-se e peça ao Senhor que lhe ensine a ser a cada dia um servo mais fiel, mais dedicado e mais santo.
Não viva na prática do pecado, mas quando pecar, busque Aquele que perdoa, peça-lhe perdão, humilhe-se diante d’Ele. Se prostre diante do Espírito Santificador e clame para que Ele lhe torne um servo mais santo, mais correto diante de Deus. Peça para que o Deus Triúno lhe ensine a viver para a glória d’Ele.
Ah! Lembre-se: A humilhação diante de Deus é a melhor chave para a santificação!


2 comentários:

Marcos disse...

O Salmo 51 refere a confissão e arrependimento. Quantos aqueles que vão a Igreja e não estão presente e nem segue a palavra ou seja não vivência, querem que você seja aquilo que você não é são hipocratas como está em Mateus 7. Portanto, que muitos foram chamados mais poucos faram escolhido.

Emmanuel disse...

Apesar de não sermos "supercrentes", muitas vezes queremos nos mostrar assim. Todo mundo tem um fraqueza, sabemos disso. Mas, às vezes desafiamos a nós mesmos dizendo: -Eu vou conseguir! Por exemplo: Digamos que um irmão tem uma fraqueza pela bebida, mas ele insiste em passar na frente de um bar pra se mostrar forte e não cair naquela tentação. Porém, não seria mais simples e mais prudente ele se desviar do caminho do bar?
Devemos cortar o mal pela raiz.É preciso se desviar do caminho que nos faz pecar. Não precisamos querer nos mostrar "supercrentes", mas prudentes na forma de pensar e de agir.

Emmanuel Guedes.